Como cada livro da Bíblia pode te dar medo

login / julho 3, 2019

Confesso que tenho medo facilmente. Quando era adolescente, tomava conta de crianças até tarde, aos sábados à noite. Quando cheguei a casa, estavam todos dormindo. Quando me preparava para dormir, evitava olhar-me ao espelho porque me assustava com um olhar. Na verdade, até um olhar de lado faria o meu coração bater!

Quando casei com o meu marido, fiz ele prometer que nunca me assustaria de propósito na nossa casa juntos. Ele tem sido fiel a esta promessa e, no entanto, ainda salto ao vê-lo onde não o espero. Ele muitas vezes me pergunta: “depois de 25 anos de casamento, você ainda não está acostumada comigo por perto?”

Quase todos os livros da Bíblia têm um “medo” nele.

Como cada livro da Bíblia pode te dar medo

Então, há algo um pouco desconcertante quando eu percebo que quase todos os livros na Bíblia têm um “medo” nele. Isto deve nos dizer algo sobre nossas suposições sobre a vida cristã. Muitos de nós que vivemos na América do Norte cresceram com a ideia de que seguir Jesus automaticamente garante segurança. Isso pode criar um grande tumulto interior quando os tempos de sofrimento ocorrem.

O medo que se ergue durante uma grande agitação social dentro e fora da Igreja deixa muitos de nós desamparados. Em tais momentos, o Livro do Apocalipse oferece conforto. Mesmo assim, tentamos controlar o resultado. Nós frequentemente interpretamos o livro através de nossas suposições e medos nacionalistas ao invés de procurar o significado mais profundo originalmente pretendido por seu autor.

No primeiro capítulo do Apocalipse nos é apresentada uma imagem que deve permanecer conosco: “e quando me virei, vi . . . alguém ‘como um filho do homem,’ vestido com um robe estendendo-se aos pés e com uma faixa dourada em torno do peito. A sua cabeça e o seu cabelo eram brancos como lã, como a neve, e os seus olhos eram como fogo ardente. Seus pés eram como bronze brilhando em uma fornalha, e sua voz era como o som de águas correndo.

Na sua mão direita segurou sete estrelas, e da sua boca saiu uma espada afiada de dois gumes. Seu rosto era como o sol brilhando em todo o seu brilho. Quando o vi, caí aos seus pés como se estivesse morto. Então, pôs-me a mão direita e disse: Não temas! Eu sou o primeiro e o último. Eu sou o Vivo; eu estava morto, e eis que estou vivo para todo o sempre!’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *